jul 31 2019

Pecuária Orgânica: principais pilares e desafios


Todo agricultor que desejar iniciar ou migrar da produção de bovinos convencional (corte ou leite) para uma pecuária orgânica e conseguir a certificação orgânica, vai passar pelo desafios de implementar esses 3 principais pilares fundamentais da pecuária orgânica.

Entretanto esses pilares da produção orgânica de Bovinos, são estudos de pesquisas e desenvolvimento. Hoje a produção pecuária no Brasil é modesta, embora tenha muito espaço para crescer.

Principais Pilares da Pecuária Orgânica:

* Manejo de Pastagens
* Produção animal
* Controle sanitário alternativo

1. Manejo de Pastagens para bovinos orgânicos

Algumas pesquisas realizadas pela EMBRAPA AGROBIOLOGIA, destaca algumas pesquisas e desenvolvimento agroecológicos. https://www.embrapa.br/agrobiologia/pesquisa-e-desenvolvimento

Referente a pastagens no Brasil existem aproximadamente 200 milhões de hectares de pastagens nativas ou implantadas, independente de sistema orgânico ou convencional.

Contudo estima-se que cerca de 130 milhões das pastagens estejam degradados e necessitem de alguma intervenção para reverter o estado em que se encontram.

Uma das tarefas principais do manejo de pastagens, além da adubação, recuperação da pastagem o principal fator frente a sustentabilidade é o efeito estufa na produção de bovinos.

A EMBRAPA iniciou um estudo em 2014 para mitigar o efeito de estufa causado pelo gado.

Verificação do efeito mitigador de gases de efeito estufa pelo manejo de pastagens com fertilizante nitrogenado ou em consórcio com leguminosas forrageiras. Segundo Embrapa o Gás Efeito Estufa (GEE), cerca de 35% do total produzido no Brasil, vem da pecuária. Sendo a maior fonte de GEE.

Outro ponto importante em relação a pastagem é o cumprimento de metas do programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC).

Este projeto de pesquisa tem como objetivo principal identificar a fixação biológica de nitrogênio (FBN) entre as bactérias e o tipo de pastagens.

Hoje estima-se que a bovinocultura do País, atualmente com 210 milhões de cabeças de gado, ocupe uma área aproximada de 115 milhões de hectares constituídos por gramíneas introduzidas, como o capim braquiária e o capim colonião, e outros 145 milhões de hectares com pastagens nativas.

Lembrando que a adubação das pastagens não pode ser efetuada com produtos químicos/sintéticos.

O processo de conversão da pastagem, sair do sistema convencional para orgânico, levam 12 (doze) meses. E precisa respeitar todos os critérios orgânicos de manejo.

As pastagens no sistema bovino de orgânicos devem ser compostas com vegetação arbórea para cumprir sua função ecossistêmica e propiciar sombreamento necessário ao bem-estar da espécie em pastejo.

2. Produção animal na pecuária orgânica

Houve um avanço de pesquisa pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa e se dividiu em dois períodos: Primeiro (2003 a 2007) e segundo (2007 até 2011).

Uma das maiores contribuições da Ciência para revolucionar a pecuária bovina brasileira foi a melhoria da genética do rebanho.

Entre elas a introdução do gado zebu no Brasil Central, onde foi essencial para a expansão nesta região e se tornou a base do rebanho brasileiro, onde outros avanços hoje ocorrem, com técnicas de fecundação in vitro, produção de embriões, clonagem etc.

A evolução genética das raças criadas no Brasil utiliza técnicas adotadas e provadas no mundo todo, pela atuação de produtores rurais e profissionais técnicos especializados e qualificados.

Embora no sistema orgânico não é permitido fazer IATF (Inseminação artificial por tempo fixo), na bovinocultura orgânica a monta deve ser natural. Outro ponto importante é adquirir animais com procedência orgânica preferencialmente.

Se isso não for possível o rebanho para ser considerado orgânico, o animal precisa ter pelo menos 3/4 (três quartos) do período de vida em sistema de manejo orgânico. Conforme cita a Instrução Normativa Nº 17 de 18 de junho de 2014. http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/organicos/legislacao/portugues/instrucao-normativa-no-17-de-18-de-junho-de-2014.pdf/view

Lembre-se, o uso de ureia é proibido no sistema orgânico e qualquer outro tipo de vitaminas, provitaminas e aminoácidos sintéticos só será permitido para prevenção de doenças carenciais que afetem a saúde e o bem-estar animal, vedado seu uso para aumento de produtividade.

3. Controle sanitário alternativo na pecuária orgânica

Em 2009 foram iniciados estudos de uso de plantas para tratar controle de vermes intestinais e carrapatos para a bovinocultura.

Algumas plantas foram testadas, porém as pesquisas não evoluíram para busca de outras plantas na prevenção e combate a doenças.

No sistema orgânico de bovinos é obrigatório o uso de vacinas e exames determinados pela legislação de sanidade animal, como a febre aftosa.

Porém para as demais doenças ou ferimentos aplica-se os preparados homeopáticos e biodinâmicos, assim como fitoterápicos, florais, minerais, tintura de iodo, permanganato de potássio entre outros.

Havendo necessidade de uso de produtos químico sintéticos artificiais, o período de carência a ser respeitado para que os produtos e subprodutos dos animais tratados possam voltar a ter o reconhecimento como orgânicos deverá ser duas vezes o período de carência estipulado na bula do produto e, em qualquer caso, ser no mínimo de 96 horas.

Aplicando o limite para cada animal, que só poderá ser tratado com medicamentos não permitidos para uso na produção orgânica por, no máximo, duas vezes no período de um ano.

Conclusão

A cadeia da pecuária orgânica, de corte ou de leite, é bem maior do que citado aqui, porém esses 3 (três) pilares, são os principais e os mais desafiantes para serem implementados na bovinocultura orgânica.

Contudo para conseguir a certificação orgânica da pecuária de corte ou leite orgânica, deverá cumprir todo o requisito solicitado pela legislação vigente. https://www.sitiopema.com.br/certificacao-organica-conseguir-o-selo/

Entretanto, sempre é recomendável solicitar ajuda de técnicos pecuária e certificação orgânica.

Pois para a certificação orgânica é necessário montar o PMO (Plano de Manejo Orgânico) o qual irá detalhar todos os itens para produção da pecuária orgânica.

Portal Terra