ago 2 2019

Abertura chinesa deve contribuir para balança comercial do leite, avalia Deral


O Departamento de Economia Rural da Secretaria de Agricultura do Paraná (Deral) destacou em seu boletim mensal do leite a abertura do mercado chinês a produtos lácteos do Brasil. Segundo a instituição, as futuras vendas deverão melhorar o equilíbrio da balança comercial brasileira e paranaense.

“Atualmente as exportações de lácteos tem sido pouco significativas em relação as importações, principalmente devido ao grande volume de lácteos que entram da Argentina e Uruguai a baixos custos”, explica o Deral em nota.

A China anunciou a abertura do seu mercado para produtos lácteos brasileiros no último dia 23 de julho após um processo de negociação que se arrastava desde 2007, quando já havia certificação acordada com o país, mas sem nenhuma planta brasileira efetivamente habilitada a exportar. Agora, 24 empresas foram habilitadas.

“A abertura do mercado chinês, sem dúvida, é uma grande oportunidade de desenvolvimento para a cadeia nacional de lácteos, fortalecendo as indústrias e trazendo consequente melhor remuneração aos produtores, classe que tem trabalhado com margens de rentabilidades apertadas nos últimos anos, devido a questões conjunturais”, explica o Deral.

Atualmente a China é o maior importador mundial de lácteos, somente de leite em pó, o país compra anualmente 800 mil toneladas. Ou seja, 200 mil toneladas a mais do que a produção brasileira do produto.

Portal DBO