fev 14 2019

Com o feno, pecuarista garante a alimentação do rebanho na seca


A Agroforn foi fundada em 1989 por Luigi Fornoni e seu filho Alessandro Fornoni, em Pardinho (SP). Detendo tecnologia própria, projeta e fabrica máquinas e equipamentos para a produção de pré-secados e feno, como segadeiras, empacotadeiras, ancinhos, empilhadeiras, enfardadeiras, entre outros.

A empresa participou do Show Rural Coopavel entre os dias 4 a 8 de fevereiro, em Cascavel (PR). Em seu estande, a Agroforn apresentou seus produtos e serviços aos visitantes da feira.

Alessandro Fornoni, diretor da Agroforn, esteve na exposição paranaense e foi entrevistado pelo apresentador Daniel Dias, na Unidade Móvel de Transmissão do RVTV. Entre os temas abordados, destaque para a evolução do mercado de fenação no Brasil, especialmente sobre a oferta de máquinas cada vez mais modernas.

“A evolução é muito rápida. Por exemplo, se o produtor não terminar um boi em 18 meses ou no máximo dois anos, com o mesmo peso daquele que ficava 4 anos na fazenda, ele está fora do mercado. Além disso, a qualidade da carne hoje também tem valor. Neste sentido, o pecuarista percebeu a importância em se investir em equipamentos, estocar alimento e oferecer o fardo no período de estiagem, durante o inverno”, explica Alessandro.

Outro fator importante destacado pelo diretor da empresa é a intensificação da atividade. “Ao invés do animal ficar perdendo energia buscando alimento pela propriedade, você mantém o rebanho parado em uma mesma área, o que melhora os ganhos e intensifica a pecuária de corte na fazenda”, detalha.

É possível produzir feno de gramíneas e leguminosas, independente do tipo de solo, clima e região do Brasil. “O único fator que difere o feno é a qualidade em termos de proteína, mas é possível produzir feno de qualquer tipo de variedade”, esclarece Fornoni.

Fonte: RVTV