jan 4 2019

Boi gordo: frigoríficos aproveitam poucos negócios para ofertar abaixo da referência


Pecuaristas e frigoríficos ainda estão sentindo o mercado em busca do melhor posicionamento tanto para compras como para vendas. De acordo com a Scot Consultoria, o que chamou atenção nesta quinta, dia 3, é que devido ao menor volume de negócios, muitos frigoríficos aproveitam para testar preços abaixo das referências, “na estratégia do se colar, colou”.

Nas regiões onde essa estratégia foi vista com maior intensidade, houve pressão de baixa nas cotações e, no levantamento de desta quinta foram registradas desvalorizações para a arroba do boi gordo em 11 praças pecuárias.

No mercado atacadista de carne bovina com osso, a carcaça de bovinos castrados fechou cotada em R$ 10,29 por quilo, queda de 0,3% frente ao levantamento anterior. Embora o ajuste negativo seja pequeno, sinaliza a tentativa dos compradores de pressionar negativamente as cotações.

“Vale lembrar que sazonalmente em janeiro a venda da carne é menor em função da descapitalização e compromissos financeiros da população”, explica a Scot.

BOI GORDO NO MERCADO FÍSICO – ARROBA À VISTA

Araçatuba (SP): R$ 150
Triângulo Mineiro (MG): R$ 146
Goiânia (GO): R$ 139
Dourados (MS): R$ 141
Mato Grosso: R$ 130,50 a R$ 136
Marabá (PA): R$ 132
Rio Grande do Sul (oeste): R$ 4,95 (kg)
Paraná (noroeste): R$ 150,50
Paragominas (PA): R$ 137
Tocantins (sul): R$ 133

Fonte: Canal Rural