jun 5 2018

No Brasil se faz a agricultura mais sustentável do planeta, defende Arnaldo Jardim


O deputado federal Arnaldo Jardim defendeu a sustentabilidade da produção agropecuária brasileira durante reunião conjunta, na última segunda-feira (4), em São Paulo, dos conselhos superiores do Agronegócio (Cosag) e o de Meio Ambiente (Cosema) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O evento faz parte da Semana do Meio Ambiente e teve como objetivo discutir o cenário do Programa de Regularização Ambiental (PRA) no Estado.

Passo seguinte ao Cadastro Ambiental Rural (CAR), que termina em 31 de dezembro de 2018, o Programa aguarda decisão da Justiça para ser implantado. Para Arnaldo Jardim, a publicação do Acórdão sobre o julgamento do Código Florestal brasileiro, feito pelo Supremo Tribunal Federal (STF), deve abrir caminho para o PRA.

Defendendo que “no Brasil se faz a agricultura mais sustentável do planeta e nós temos orgulho disso”, o deputado, representante da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), informou que vem realizando um trabalho junto ao Supremo para resolver a questão. “A Frente agregou para o ministro Luis Fux informações importantes para o Acórdão. Ele em princípio se mostrou sensível a esta questão”, contou.

Arnaldo Jardim fez questão de ressaltar que o Brasil tem uma produção em harmonia com o meio ambiente, ao contrário da imagem que alguns grupos tentam colocar como verdadeira. “Algumas iniciativas da agropecuária brasileira causam mais impactos positivos do que ações de outros países que são alardeadas pelo mundo”, destacou, citando exemplos como o plantio direto e a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF).

Uma sustentabilidade reforçada também por Jacyr da Costa, presidente do Cosag. “O que o setor produtivo busca é unir produção e preservação, e em São Paulo temos secretarias que conversam entre si para que isso aconteça”, apontou, citando as Pastas do Meio Ambiente e de Agricultura do Governo do Estado.

Uma boa relação lembrada também pelo procurador-geral do Estado, Juan Francisco Carpenter. “Sou testemunha do entusiasmo e do compromisso dele sobre essa questão. O deputado Arnaldo Jardim foi um secretário de Agricultura extraordinário que promovia essa boa relação entre as secretarias.”

Até 27 de maio de 2018, 334.466 propriedades rurais aderiram ao CAR – 287.627 menores do que quatro módulos fiscais e 46.839 menores do que quatro módulos. Isso significa 93,9% da área cadastrável no Estado.